Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Com Venezuela, o esquerdismo no fundo do poço

Loris Zanatta, professor da Universidade de Bolonha, afirmou que as esquerdas latino-americanas fazem seu haraquiri apoiando Maduro [foto]. Ele lhes pede para não perder a luz da razão, e que não se joguem contra o povo como o touro enfurecido se joga contra um pano. Essas esquerdas, nas quais ele se inclui, estão reduzidas a uma mistura de “arrogância, fanfarronadas e teatralidade — a antecâmara da inépcia”. Afirma ainda que elas serão enterradas com uma sonora gargalhada, e seria mais objetivo não se restringirem à Venezuela. O fenômeno que o revolta se dá na América Latina toda, não só na política, mas na ordem social, econômica e cultural. Também na esfera religiosa, onde o Papa Francisco, apoiando ditadores esquerdistas, parece caminhar rumo a análogo precipício.

3 comentários para Com Venezuela, o esquerdismo no fundo do poço

  1. Costa Marques Responder

    1 de maio de 2019 à 12:09

    As esquerdas, e o professor Loris Zanatta, não querem ver a realidade inteira: os ventos estão enfunando as velas da direita. A esquerda morreu porque não empolga as massas, e nem a midia consegue disfarçar isso. Quanto ao Papa Francisco, lamentamos profundamente, promove abertamente a destruição da Igreja e da Cristandade. CostaMarques

  2. José Antonio Rocha Responder

    1 de maio de 2019 à 13:19

    Nao tenhamos medo. Os escravos de satanás não vencerão. Deus é mais forte que todo o mal. Jesus Cristo venceu o mundo, a morte e o pecado. O coração imaculado da Virgem Maria triunfará. Amém.

  3. Luiz Guilherme Winther de Castro Responder

    1 de maio de 2019 à 14:05

    “O trem tá feito”, como diz o mineiro! O papa não é beligerante, mas, como chefe supremo ou o pastor supremo da nossa Igreja e ainda chefe do Estado do Vaticano, também fica numa situação delicada. Deve ser muito difícil, complicado para ele, tratar de questões políticas, pois, tendo de seguir os ensinamentos de Cristo, em primeiro plano está o amor ao próximo. “Brigar” com ditadores poderia enfurecê-los mais ainda e prejudicar o povo que já está oprimido nas mãos dessa gente.O papa tem de ser firme, mas, cuidadoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *