Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Comunicado do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira: Papa Francisco em Cuba

Instituto Plinio Corrêa de Oliveira

Cuba

Liberdade para a ilha-cárcere ou (oxigênio para a) consolidação de uma cruel ditadura?

A próxima viagem do Papa Francisco a Cuba constituirá a terceira visita pontifícia à ilha-cárcere. De maneira similar às duas visitas anteriores, a de João Paulo II em 1998 e a de Bento XVI em 2012, se multiplicam as hipóteses do que poderá acontecer durante e após a visita papal numa ilha que continua desde há incríveis seis décadas dominada por uma cruel ditadura comunista.

Antes das duas viagens precedentes, a expectativa de muitos amantes da liberdade era de que as respectivas visitas papais contribuíssem não só para fortalecer os direitos de uma Igreja subjugada, e dar forças aos fiéis católicos dizimados, estrangulados e asfixiados pelo regime, mas também para trazer ventos frescos de liberdade à outrora Pérola das Antilhas.

Infelizmente, essas esperanças foram cruelmente desmentidas pela realidade.

CubaNa visita de João Paulo II, o mundo presenciou de que maneira foi aplicado o histórico apelo desse pontífice para que o mundo se abrisse a Cuba, e Cuba se abrisse ao mundo. Na realidade, o mundo político, econômico e eclesiástico se abriu mais ainda ao regime, o qual, fortalecido publicitária, política e economicamente, manteve fechada a ilha-cárcere. De maneira surpreendente, o próprio visitante chegou a elogiar, em conversa com jornalistas, os alegados “logros” do regime nos campos da saúde e da educação, que, como tem assinalado os especialistas, são no fundo dois instrumentos de deformação ideológica e moral, e de controle social da população. Professores e médicos são metade profissionais, metade funcionários a serviço do Partido Comunista e dos órgãos de segurança. Em resumo, do ponto de vista das perspectivas de liberdade do povo cubano, foi um verdadeiro desastre.

Desse mesmo ponto de vista, a viagem de Bento XVI não obteve resultados melhores. Causou até profunda estranheza nos cubanos de dentro e fora da ilha, e dos amantes da liberdade do mundo inteiro, a entrevista concedida por Bento XVI ao antigo ditador Fidel Castro, que contribuiu para prestigiar o regime comunista, e fazer cair as barreiras psicológicas de horror com relação aos tiranos da ilha cárcere.

Infelizmente, as perspectivas da viagem do atual Pontífice não são melhores. O Papa Francisco tem demonstrado ser um artífice fundamental da gigantesca e renovada apertura diplomática e financeira do mundo ao regime, incluindo, notadamente, o próprio governo norte-americano.  Os dividendos do regime cubano estão sendo enormes, e chegaram a um píncaro publicitário com a entrevista que o Santo Padre concedeu ao ditador Raúl Castro, em Roma, em maio de 2015.

A esse respeito, o legendário ex prisoneiro político Armando Valladares, que passou 22 anos nos cárceres castristas, escreveu queel pontífice Francisco recibió al tirano Raúl Castro y, en medio de sonrisas y amabilidades mutuas, estrechó largamente sus manos ensangrentadas, llegando a pedir al líder comunista que rezara por él”; um encontro que constituiu “una escena escalofriante y estremecedora que, delante de Dios y de la Historia, marcará de manera indeleble el actual pontificado”.

Em 1974, o então secretário para os Assuntos Públicos da Igreja, monsenhor Agostino Casaroli, visitou a ilha-cárcere e, posteriormente, ao fazer um balanço de sua estadia, declarou de maneira surpreendente que “os católicos da ilha vivem felizes”.

Cuba

A esse respeito, no contexto da enigmática política de distensão que o Vaticano já levava adiante com os governos comunistas, o Professor Plinio Corrêa de Oliveira escreveu um estudo intitulado A política de distensão do Vaticano com os governos comunistas – Para a TFP: omitir-se? ou resistir? [fac-símile acima], no qual, após analisar diversos lances importantes e estremecedores dessa “ostpolitik”, reafirmava o pleno direito dos católicos de discordar e de resistir a essa aproximação diplomática.

Hoje, 41 anos depois desse histórico documento do Professor Plinio Corrêa de Oliveira, a reafirmação desse direito dos fiéis católicos de resistir às orientações diplomáticas da Santa Sé, na medida em que favoreçam o comunismo, cobra enorme atualidade e vigência.

Depois do colapso do comunismo na Europa, a enigmática “ostpolitik” com relação a Cuba continuou numa escalada vertiginosa, na qual Cardeais, secretários de Estado e até os próprios pontífices fizeram elogios incríveis a figuras do regime e a seus supostos “logros”.

Uma cronologia desses fatos encontra-se em documentados estudos publicados por desterrados cubanos, que estão disponíveis gratuitamente na Internet.

Existe uma enigmática continuidade dessa ostpolitik com relação a Cuba, iniciada antes inclusive das desafortunadas palavras do então secretário dos Assuntos Públicos da Igreja sobre a suposta “felicidade” dos católicos cubanos, passando pelo pedido de orações feito pelo Papa Francisco ao sanguinário ditador Raúl Castro, até a própria e iminente viagem do atual Pontífice a Cuba. É nesse contexto que, segundo o citado ex-preso político Armando Valladares, se levantan las más graves preguntas, no solamente sobre Castro y sus secuaces, sino sobre las intenciones de fondo de la ‘ostpolitik’ vaticana con relación al comunismo cubano, a sus objetivos y a sus metas: ¿qué se pretende?; ¿hacia dónde se va?; ¿hasta dónde se pretende llegar?; ¿y cuáles son las consecuencias para la fe y la doctrina católica, de estas actitudes tan disímiles con la enseñanza tradicional de la Iglesia sobre el comunismo “satánico” e ‘intrínsecamente perverso’”?

São estas as reflexões que o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira deseja compartilhar com o público brasileiro, nas vésperas da chegada do Papa Francisco em Cuba, pedindo à Virgem da Caridade do Cobre, Padroeira de Cuba, que nesta hora crucial conceda ao povo cubano todas as graças necessárias para alcançarem a tão esperada liberdade.

3 comentários para Comunicado do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira: Papa Francisco em Cuba

  1. Mario Hecksher Responder

    17 de setembro de 2015 à 10:55

    O Papa Francisco está colocando os católicos não alienados em uma sinuca de bico, pois está favorecendo a sobrevivência de conhecidos e declarados inimigos da Santa Madre Igreja. Só nos resta rezar e pedir à Virgem Santíssima que nos ilumine e proteja.

  2. NEREU AUGUSTO TADEU DE GANTER PEPLOW Responder

    20 de setembro de 2015 à 17:17

    NOSSA SENHORA DE LA SALETTE, 1846

    “Os sacerdotes, ministros de meu Filho, pela sua má vida, sua irreverência e impiedade na celebração dos santos mistérios, pelo amor do dinheiro, das honrarias e dos prazeres, tornaram-se cloacas de impureza”.
    “Sim, os sacerdotes atraem a vingança e a vingança paira sobre suas cabeças.
    Ai dos sacerdotes e das pessoas consagradas a Deus, que pela sua infidelidade e má vida crucificam de novo meu Filho!”
    Os pecados das pessoas consagradas a Deus bradam ao Céu e clamam por vingança e eis que a vingança está às suas portas, pois não se encontra mais uma pessoa que implore misericórdia e perdão para o povo; não há mais almas generosas, não há mais ninguém digno de oferecer a Vítima imaculada ao Pai Eterno em favor do mundo.”
    “Deus vai golpear de modo inaudito.
    Ai dos habitantes da Terra!
    Deus vai esgotar sua cólera e ninguém poderá fugir a tantos males acumulados.”
    “Os chefes, os condutores do povo de Deus negligenciaram a oração e a penitência e o demônio obscureceu suas inteligências; transformaram-se em estrelas cadentes, que o velho diabo arrastará com sua cauda para fazê-los perecer.”
    “Deus permitirá à velha serpente introduzir divisões entre os que reinam, em todas as sociedades e em todas as famílias.
    Sofrer-se-ão tormentos físicos e morais.
    Deus abandonará os homens a si mesmos e enviará castigos que se sucederão durante mais de trinta e cinco anos.”

    “A sociedade está na iminência dos flagelos mais terríveis e dos maiores acontecimentos; deve-se esperar ser governado por uma chibata de ferro e beber o cálice da cólera de Deus.”
    “Muitos abandonarão a fé e o número dos sacerdotes e religiosos que se afastarão da verdadeira religião será grande; entre essas pessoas se encontrarão até bispos.”
    ”Os maus livros abundarão sobre a Terra e os espíritos das trevas espalharão por toda parte um relaxamento universal em tudo o que se refere ao serviço de Deus; eles terão grandíssimo poder sobre a natureza; haverá igrejas para cultuar esses espíritos.”
    “Pessoas serão transportadas de um lugar para outro por esses espíritos maus, até sacerdotes, porque não se terão conduzido pelo bom espírito do
    Evangelho, que é um espírito de humildade, caridade e zelo pela glória de Deus.”
    “Ai dos príncipes da Igreja que então estarão ocupados apenas em acumular riquezas”, salvaguardar sua autoridade e dominar com orgulho!”
    ”O Vigário de meu Filho terá muito que sofrer, porque durante algum tempo a Igreja será entregue a grandes perseguições; será o tempo das trevas e a Igreja passará por uma crise pavorosa.”
    “Tendo sido esquecida a santa fé em Deus, cada indivíduo desejará guiar-se por si próprio e ser superior a seus semelhantes.
    Serão abolidos os poderes civis e eclesiásticos; toda a ordem e toda justiça serão calcados aos pés; não se verá outra coisa senão homicídios ódio, inveja, mentira e discórdia, sem amor pela pátria nem pela família.”

    “Os governantes civis terão todos um mesmo objetivo, que consistirá em abolir e fazer desaparecer todo princípio religioso, para dar lugar ao materialismo, ao ateísmo, ao espiritismo e a toda espécie de vícios.”
    “No ano 1865 ver-se-á a abominação nos lugares santos; nos conventos, as flores da Igreja serão apodrecidas e o demônio tornar-se-á como que o rei dos corações.”
    “Que os dirigentes das comunidades religiosas estejam atentos em relação às pessoas que devem receber, porque o demônio usará de toda sua malícia para introduzir nas ordens religiosas pessoas entregues ao pecado, pois as desordens e o amor dos prazeres carnais estarão espalhados por toda a Terra.”
    “De repente, os perseguidores da Igreja de Jesus Cristo e todos os homens entregues ao pecado perecerão e a Terra tornar-se-á como um deserto.”
    “A natureza exige vingança por causa dos homens e estremece de pavor na espera do que deve acontecer à Terra emporcalhada de crimes.”
    “Tremei, ó Terra, e vós que fizestes profissão de servir a Jesus Cristo, mas que no vosso íntimo adorais a vós próprios; tremei, pois Deus vai entregar-vos a seu inimigo, porque os lugares santos estão imersos na corrupção; muitos conventos não são mais casas de Deus, mas pastagens de Asmodeu e os seus.”
    “As estações mudarão, a terra só dará maus frutos, os astros perderão seus movimentos regulares, a lua não projetará senão uma débil luz avermelhada; a água e o fogo darão ao globo terrestre movimentos convulsivos e horríveis tremores de terra, que engolirão montanhas e cidades.”
    “Roma perderá a fé e se tornará sede do Anticristo.”

    “Os demônios do ar, junto com o Anticristo, farão grandes prodígios na terra e nos ares e os homens se perverterão cada vez mais.”
    “Deus tomará sob Seus cuidados os fiéis servidores e os homens de boa vontade, o Evangelho será pregado por toda parte, todos os povos e todas as nações terão conhecimento da verdade.”

    E, como disse N. Sra. em Fátima, em 1917, “…por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”.

    http://aparicaodelasalette.blogspot.com.br/2012/05/lutero-no-inferno-visao-da-beata.html

  3. Alvaro Orozco Carballo Responder

    5 de setembro de 2017 à 7:53

    Francisco tiene que actuar cautelosamente para aportar a los cubanos encarcelados la mayor liberacion o redencion cristiana posible y procurar convertir a sus carceleros,
    Las advertencias de la TFP son alertas para no entender indebidamente esa mision y precaver su tergiversacion.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *