Cresce o risco de conflito nuclear mundial

Em 2019, os EUA e a Rússia abandonaram acordos vitais de limitação de armas nucleares. No cenário atual, a Coreia do Norte esbraveja; e o Irã ameaça a Índia e o Paquistão, seus rivais, que não renunciam às suas reivindicações.

O embaixador Sérgio de Queiroz Duarte, que foi alto representante da ONU para a assinatura daqueles acordos de desarmamento, afirma: “O conflito atômico mundial está mais próximo do que se poderia imaginar. Os arsenais existentes são suficientes para inviabilizar completamente a civilização humana”.