Dramas ocultos por trás da modernidade da Olimpíada

A modernidade ostensiva dos estádios olímpicos de Pequim escondeu fatos monstruosos, informou o diário parisiense “La Croix”. Pequim vive envolta numa nuvem de poluição e poeira, que impede a visão além da distância de 100 metros. A população queixa-se pelo fato de o governo bombardear as nuvens de poluição com substâncias químicas; e, como conseqüência, os habitantes passarem mal. Massas de miseráveis que moram nas ruas foram expulsas sumariamente, a fim de não serem vistas pelos estrangeiros. As fábricas cessaram seus trabalhos durante os jogos, para que os atletas não ficassem asfixiados. Rodízios especiais de carros foram previstos. Os controles policiais foram cada vez mais invasivos. O governo comunista chinês decretou que o primeiro dia da Olimpíada deveria ser ensolarado, e o dia da inauguração seria azul. Ai de quem não os visse assim! (Agência Boa Imprensa – ABIM)

Um comentário para "Dramas ocultos por trás da modernidade da Olimpíada"

  1. Anonymous   8 de outubro de 2008 at 16:31

    China tenta mostrar o k não é e nunaca será!
    Olga.