Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Esquerda católica sustenta falso mito

Revista Catolicismo, nº 782, Fevereiro/2016

Stédile, chefe do MST, com o bispo Dom Tomás Balduíno

Stédile, chefe marxista do MST, com o bispo Dom Tomás Balduíno

Enquanto o chamado Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) vai perdendo a credibilidade (se é que algum dia a teve) entre os próprios homens do campo, a esquerda católica se obstina em defender com unhas e dentes os restos de prestígio desse movimento subversivo.

Nascido das entranhas poluídas da “Teologia da Libertação” como movimento auxiliar da revolução social comunista, o MST recentemente resolveu ficar ecologista, para estar aggiornato com a última moda das esquerdas. De vermelho virou verde, como um esperto camaleão.

Mesmo assim, está difícil pegar. Como isso “não cola”, a propaganda tem insistido em promover o personagem que foi escolhido para ser o símbolo do MST, o marxista João Pedro Stédile.

Alguns dados sobre ele – suas ligações com a esquerda católica e sua adesão ao ecologismo – nos são fornecidos em interessante artigo “O Natal de Stédile”, do jornalista Mario Sergio Conti, publicado no blog leonardoboff.com (22-12-15). Sintomático o trecho que abaixo reproduzimos.

Laudato si“O Brasil é o país que abriga o maior rebanho católico do mundo. Entre eles está João Pedro Stédile, dirigente do Movimento dos Sem Terra. Ele é primo de Dom Orlando Dotti, bispo de Vacaria, no Rio Grande do Sul, e de vários frades capuchinhos. Os primos párocos marcaram a sua formação franciscana, que considera ‘mais atual do que nunca’.

“Stédile sustenta que o líder religioso da hora, o papa Francisco, ‘tem um comportamento revolucionário’. O pontífice, disse ele no intervalo de uma peregrinação pelo interior paulista, ‘teve uma experiência política no peronismo, é um nacionalista que defende os pobres e é contra o abuso do capital’.

“Para ele [Stédile], a encíclica papal [foto] sobre o meio ambiente ‘é uma obra histórica maior do que dez COP21, a conferência da ONU sobre o clima, que não serviu para nada’.

“O MST se atualizou na teoria e na prática nos últimos anos. O movimento, diz Stédile, é contra a ‘reforma agrária burra’, que só se preocupa com a divisão dos latifúndios. Advoga que a agricultura produza alimentos saudáveis para o povo, em vez de exportar commodities. Prega a ‘agroecologia’, técnicas de cultivo que não vitimem a natureza.

“Ele também se insurgiu contra o machismo, disseminado no meio rural, inclusive no MST. O movimento conseguiu que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o Incra, passasse a entregar títulos de propriedade a casais de sem-terra gays.”

*        *        *

O realce de Stédile lhe vem do apoio que recebe da esquerda católica e de certas tubas midiáticas. Ora, que pessoas e movimentos que se dizem católicos, se obstinem em propagandear e patrocinar tal homem e tal movimento, quando este último visivelmente já declina, põe em evidência quão perniciosa tem sido para o Brasil a atuação da corrente denominada “esquerda católica”.

E a utilização para tão funesta empresa do sagrado nome de “católico” só pode provocar lágrimas em Nossa Senhora.

3 comentários para Esquerda católica sustenta falso mito

  1. Costa Marques Responder

    12 de fevereiro de 2016 à 12:08

    Que pensar de uma coisa dessas?
    Stédile, chefe marxista do MST, com o bispo Dom Tomás Balduíno
    Stédile com Francisco I há algum tempo atrás, e ainda recebeu de Roma todo apoio…
    E que faz Stédile no Brasil: invade e comanda invasões
    Seria chefe de quadrilha de invasões?
    Não, ele está elevado à categoria de chefe de “Movimento Social”.
    E o que é um Movimento Social? Deve ser aquele que não é AntiSocial.
    MST, Movimentos Sociais, … slogans publicitarios para se fazer a Revolução Social marxista com tintura dos bispos esquerdistas.
    Vamos tirar a máscara desses lobos pintados de movimento social

    CostaMarques

  2. ely Responder

    12 de fevereiro de 2016 à 17:18

    Questões sociais,políticas o Estado é que tem a obrigatoriedade de regê-las. A Igreja Católica tem que se preocupar com s questões espirituais vez que nem só de pão vive o homem.Se o Papa é esquerdista revolucionário e se estiver atuando contra o Evangelho- comunista e maxismo a MÃO DE DEUS PESARÁ SOBRE ELE POR NÃO ESTAR SEGUINDO A PALAVRA POIS FOI ORDENADO- HEBREUS 5 (1-7) PARA SER SACERDOTE-REPRESENTANTE DE DEUS AQUI NA TERRA. OS HOMENS COMUNS SÃO ADMITIDOS E NOMEADOS EM RAZÃO DE PRECEITOS CONSTITUCIONAIS QUE REGEM OS HOMENS AQUI NA TERRA ONDE SÃO LEGISLADOS OS DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.A QUESTÃO RELIGIOSA DEVE ABSTER DAS CAUSAS SOCIAIS DE UM POVO. DEVE APENAS ORIENTAR SEGUNDO O EVANGELHO E NÃO INTROMETER NAS CAUSAS DO ESTADO E UNIÃO.

  3. ely Responder

    12 de fevereiro de 2016 à 17:35

    As ovelhas da Igreja Católica estão se perdendo por não terem Sacerdotes que os orientem para a verdade e os que detém os cargos no Clero são os verdadeiros culpados vez que não falam a verdade do Evangelho, aliás ficam pisando em ovos.As questões de gênero- Romanos; indissulibildiade matrimonial- Marcos 10 (1-10);seitas -Deuteronômio 18 ( 8 e seguintes); Eclesiastico 9 ( 7) – mulher devessa ( esterco que se pisa na estrada) e outros temais que seriam interessante mostrar aos fiéis que são pecados mortais. Inúmeros pecados virtuais levam as pessoas a praticar os mortais.NÃO TENHAM MEDO MUNDO CLERICAL DE FALAR A VERDADE AOS FIÉIS PORQUE POR ESTAREM EM CIMA DO MURO VAI PARA UMA QUE NÃO TEM AUTORIDADE E FALA, pois se ninguém fala as PEDRAS FALARÃO POR VOCÊS.PEÇO PERDÃO, MAS O DIREITO CANÔNICO DIZ QUE UM LEIGO PODE MANIFESTAR QUANDO VÊ UM INTEGRANTE DO CLERO CALAR OU IMPEDIR A APLICAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *