Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Memento pela Venezuela

Venezuela

Venezuelanos impedidos pela guarda bolivariana de atravessar a fronteira com o Brasil, onde desejavam comprar alimentos para suas famílias

♦  Santiago Escobar

Aumenta a cada dia a pressão nacional e internacional pela saída do ditador venezuelano Nicolas Maduro e, em consequência, o fim de sua agenda política chamada “revolução bolivariana”.

No dia 2 de fevereiro recordamos com execração os 20 anos da ascensão ao poder do tirano Hugo Chávez Frias, que mergulhou o país na pior crise de sua história em nome do “bolivarianismo”, uma utopia marxista criada para a esquerdização do continente latino-americano. Essa ideologia abertamente socialista estava comprimindo a Venezuela e empurrando-a para uma situação virtualmente sem saída, na qual está sendo debatida atualmente.

O mundo inteiro conhece o sofrimento do povo venezuelano por causa da grave crise que permeou todas as instituições da lei natural, como a família, a propriedade privada etc. Essa franca ditadura socialista transformou uma das nações mais prósperas da América Latina em um país com uma das maiores hiperinflações do mundo, atingindo quase 10.000.000%[i].

Por que aconteceu tudo isso com a Venezuela? — Por uma perda sistemática de fé e valores morais, cuja consequência foi levar os venezuelanos a eleger Hugo Chávez como presidente.

Como circunstância agravante, houve um aumento de cultos e feitiços esotéricos que se espalharam por todas as camadas da sociedade.

Jovens da TFP venezuelana numa campanha em Caracas

Jovens da TFP venezuelana numa campanha em Caracas

Não posso deixar de mencionar que existia na Venezuela uma organização de jovens católicos idealistas que por muitos anos denunciaram toda essa crise e, por razões de suma injustiça, foram difamados e expulsos de seu próprio país. Refiro-me aos jovens da TFP venezuelana, criticados alguns anos depois por Chávez e Maduro como militantes de uma das “piores” entidades possíveis, “fascista”[ii] e “seita de direita”[iii], por defender a tradição a família e a propriedade.

Uma das consequências da ditadura comunista é a emigração de mais de 2,3 milhões de venezuelanos, ou seja, 7% da população, que, carentes de tudo, se refugiam em países limítrofes, na maioria das vezes passando pelas piores situações.

É por isso que fazemos um memento pela Venezuela, para que a Divina Providência, por intercessão especial de Nossa Senhora de Coromoto, Padroeira do País, mais uma vez perdoe e ajude seus filhos venezuelanos que sofrem sob o peso da bota comunista que os oprime.

____________

[i]https://cnnespanol.cnn.com/video/fondo-monetario-internacional-inflacion-venezuela-portafolio-cnnee/

[ii]https://www.youtube.com/watch?v=Zr1rzKZjIlc

[iii]https://www.youtube.com/watch?v=Lq0dIvnvp-U

3 comentários para Memento pela Venezuela

  1. Pingback: Memento pela Venezuela – LITORAL CENTRO – COMUNICAÇÃO E IMAGEM ONLINE

  2. José Antonio Rocha Responder

    24 de fevereiro de 2019 à 23:29

    Amém. Deus é mais forte que todo o mal. Jesus Cristo venceu o mundo, a morte e o pecado. O imaculado coração da Virgem Maria triunfará. Não tenhamos medo. Os escravos de satanás não vencerão. Amém.

  3. Luiz Guilherme Winther de Castro Responder

    27 de fevereiro de 2019 à 14:31

    Esperemos que a situação da Venezuela caminhe para uma solução de paz, nem que seja a ferro e fogo, pois, amolecer o coração de um psicopata como o ditador do país não será nada fácil. Aliás, para mim, quase que impossível. Já vimos como terminaram outros déspotas mais recentemente, por exemplo: na Líbia e no Iraque.
    Infelizmente, imensa parte ” da família venezuelana está passando por esta tragédia, enquanto a outra parte está “nadando de braçadas” apoiando a crápula. Mas, como diz o ditado atribuído a Portugal,que não há bem que sempre dure e nem mal que nunca se acabe…
    Milagres existem, só que no caso, muitas vidas já se foram e outras ainda irão!

Deixe uma resposta para José Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *