Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Nossa Senhora de Estocolmo

Valdis Grinsteins

Catedral de Estocolmo (Suécia)

Catedral católica de Estocolmo (Suécia)

Contrariamente ao que dizem os protestantes, os povos sentem uma natural necessidade de proteção materna. Exemplo disso é a veneração à padroeira da capital sueca.

Muitas vezes, em meio a uma discussão com protestantes, lançam eles a frase que se tornou chavão: “Só Jesus salva”. Como se fosse essa uma doutrina que nós católicos rejeitássemos. Consideram eles, erroneamente, que apresentamos Nossa Senhora como sendo um ser que disputa o poder com seu Divino Filho, ou como alguém que assume posição contrária à d’Ele em certas matérias. Nada entretanto está mais longe da verdade. Nossa Senhora é, de todas as criaturas, aquela cuja vontade apresenta maior consonância com a de Nosso Senhor Jesus Cristo, aliás consonância total. Nada há que Deus deseje, com que Ela não esteja em perfeita e amorosa harmonia. Por isso, apresentá-la como tendo vontade oposta à vontade divina é, além de ignorância, grave erro teológico. E a partir de tal erro, chegam os protestantes a outro: por vezes Ela pediria algo contrário ao desejo divino. Seria como uma espécie de indevida reivindicação.

Nossa advogada junto a Deus

Tal posição decorre de um raciocínio simplificado: se apenas Deus salva, só Ele pode querer salvar. E unicamente Ele pode interceder validamente para a salvação de qualquer homem. Ora, a verdade é mais complexa. Só Jesus salva, nenhum outro ser pode salvar-nos. Mas isso não significa que Ele não deseje que outros peçam pela salvação desta ou daquela pessoa. Nosso Senhor é a misericórdia infinita e, ao mesmo tempo, a justiça infinita. Se sua infinita justiça quer castigar alguém, isso não impede que sua misericórdia infinita deseje encontrar um modo de salvar o pecador, sem violentar a justiça. Esta é a razão pela qual Nossa Senhora intercede pelos pecadores, assumindo, por assim dizer, o papel de advogada, enquanto seu Divino Filho cumpre o papel de justiceiro, mesmo sendo Ele a misericórdia infinita. Não há, portanto, duas vontades divergentes: a de Nossa Senhora, desejando o oposto do que almeja Nosso Senhor. Ela pede, porque Ele quer que Ela peça. Ambos desejam exatamente o mesmo, se bem que nosso Redentor deseja tudo em grau superior, pois é Deus.

Quem compreende essa problemática entende a necessidade da intercessão de Nossa Senhora. Não uma necessidade absoluta, mas por vontade de Deus. É claro que podemos pedir diretamente a Nosso Senhor, mas Ele mesmo deseja que a Virgem Santíssima desempenhe o papel de nossa intercessora.

Tal necessidade de alma, todos os povos a sentem. Durante épocas, podem alguns povos até se fechar a ela. Mas as dificuldades da vida como que forçam os homens a reconhecer, de algum modo, sua insuficiência e a necessidade de ajuda.

A catedral de Estocolmo

No século XVI, a Suécia teve a desgraça de abandonar a Religião Católica, única verdadeira. Pior ainda, sob alguns de seus governantes transformou-se num país líder do luteranismo. Mas, posteriormente, arrefeceu no povo sueco o interesse pela religião, sendo a Suécia um dos países do mundo onde esta é menos praticada. Andando pelas ruas de Estocolmo, é comum encontrar cartazes convidando para esta ou aquela igreja protestante, em cujo recinto vai se realizar algum concerto musical; e durante ele será pronunciado algum sermão… Isto até parece certos showmícios: se a pessoa suportar ouvir o candidato, assistirá gratuitamente a algum show musical.

Na capital sueca, durante a semana, é raro ver igrejas luteranas abertas, mesmo para quem tenha interesse turístico em visitá-las. Aos domingos, o fluxo de pessoas que vão aos templos luteranos não pode ser comparado nem de longe com o dos católicos nas igrejas do Brasil. Na catedral católica da cidade, pelo contrário, observa-se um entra-e-sai normal de fiéis, estando todos os dias aberta. Celebram-se missas pela manhã e à tarde.

A catedral católica de Estocolmo, do ponto de vista arquitetônico, apresenta uma mistura chocante. A fachada é do século XIX, e entra-se numa igreja digna, composta, elegante, com ambiente tipicamente católico. Mas o lugar onde se encontrava o altar-mor tornou-se agora passagem (ou entrada) para a nova catedral, de linhas modernas com acentuado mau gosto. Caso se abstraísse da presença do Crucifixo, o edifício poderia ser um teatro moderno, de tal forma sua arquitetura se opõe à noção de sagrado.

O atraente ícone da Virgem

Altar de Nossa Senhora de Estocolmo

Altar de Nossa Senhora de Estocolmo

Quando o altar-mor foi trasladado à nova posição, restou espaço para duas capelas. E é justamente na capela lateral direita que se encontra a imagem conhecida como Nossa Senhora de Estocolmo.

Visitando a catedral, eu pensava encontrar talvez uma imagem que pudesse ter sido salva do desastre da apostasia. Mas encontrei um ícone de estilo russo — portanto mais ligado à arte bizantina, e não à arte nórdica —, o que poderia suscitar certa confusão nos fiéis, embora numerosos ícones sejam venerados em diversas igrejas do mundo católico.

Essa imagem é a mais antiga cópia conhecida do ícone de Nossa Senhora de Kazan. É uma reprodução pintada no século XVII, o que lhe confere grande valor. Foi ela adquirida em 1987 pelo Padre Johanes Koch, e rebatizada com o nome de Nossa Senhora de Estocolmo.

Os fiéis costumam oferecer círios artísticos para serem colocados junto ao ícone. Na capela, construída em estilo tradicional de bom gosto, podem-se notar na parte superior círios de diversas origens com dizeres em várias línguas.

Hoje em dia, cerca de 20% da população sueca é constituída por imigrantes, e os católicos que assistem às missas são notoriamente das mais diversas origens. Vêem-se não apenas suecos, provavelmente convertidos recentes, mas também africanos, sul-americanos, asiáticos e europeus do sul. É impressionante como ninguém se importa com essa diversidade de origens, pois todos sentem necessidade de uma imagem de Nossa Senhora diante da qual possam rezar. Para um católico, nada mais normal. É muito reconfortante constatar que essa necessidade da intercessão materna da Santíssima Virgem, expressa na veneração a uma sua imagem, vê-se assim atendida. E isso auxilia os recém-convertidos –– que poderiam conservar alguns ressaibos da frieza protestante –– pois podem observar como os católicos, de nações as mais diversas, acorrem para rezar por meio de Nossa Senhora, diante da pintura, com toda a naturalidade.

Desencanto com o socialismo

A propaganda revolucionária mundial elogiou durante muito tempo a Suécia, apresentando-a como um país moderno, igualitário, socialista, rico. Contudo, ultimamente quase não se fala mais disso. E compreende-se que as tubas da mídia revolucionária tenham silenciado tais loas, pois ocorreu na Suécia uma rejeição a certas miragens e mentiras que estavam em voga. Os socialistas foram rejeitados nas urnas, devido à sua política de impostos e de segurança social igualitária, que estava afundando o país. E num recente referendo triunfou o bom senso nórdico, sendo rejeitada a troca da segura moeda sueca pelo incerto euro — a moeda da Europa Unida.

Peçamos a Nossa Senhora de Estocolmo que favoreça esses sadios movimentos de alma, e que na terra da grande Santa Brígida volte a florescer uma ardente devoção à Virgem Santíssima.

2 comentários para Nossa Senhora de Estocolmo

  1. Anderson Araújo Responder

    7 de janeiro de 2017 à 23:01

    Muito legal!

  2. Anderson Araújo Responder

    7 de janeiro de 2017 à 23:04

    Eu hoje não frequento nenhuma igreja nasci em lá Católico mas nunca gostei da igreja fui um filho rebelde e perturbado depois fui ser Protestante e hoje Nem Uma coisa nem outra apesar que creio eu que estou voltando a uma fé Quase que Católica estou meio distante de tudo mas faço minhas pequenas orações e ainda Me sinto fraco na fé e em forças poucos amigos mais gostei dessa matéria Abraços a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *