Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

O que é pior, matar o corpo ou a alma?

Familia pais

Padre David Francisquini*

O mundo contemporâneo vem se tornando uma máquina para a perdição das almas, pois concorre diuturnamente para o rompimento de todas as barreiras de malícia e perversidade humanas, capazes de estragos bem maiores que as represas de Fundão e Brumadinho… Portanto, crime premeditado, tanto mais quanto seus agentes sabem que abaixo das barragens se encontram jovens e crianças desassistidos.

Nas páginas do Evangelho, Nosso Senhor alertou para o ódio que o mundo devotaria aos que seguem o bem, advertindo-nos para que isso não nos causasse estupefação. Com efeito, o mundo odeia os bons porque O odiou primeiro. Jesus Cristo ressalta o amor e o carinho que tem para com os inocentes ao mandar ir a Ele as criancinhas; e aos adultos pede que se tornem como crianças para entrar no reino dos Céus. Quem acolhe uma criança, acolhe Nosso Senhor.

Recentemente tomei conhecimento de vídeos de dois youtubers circulando pela internet, com 20 a 27 milhões de seguidores, visando à perversão das crianças e dos jovens por meio de jogos, fazendo apologia contra a religião, quanto a virtude, contra Deus ao negar a fé na sua existência, além de proclamar que religião alguma pode satisfazer quem quer que seja, Buda, como também o dragão, derrota Jesus Cristo e o cristianismo, chamam Deus de safado e Poseidon com a sua cauda arrasta Deus, além de zombarias, frenesi e agitação que arrancam a temperança das crianças.

A esse respeito são contundentes as palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: “E toda planta que não foi plantada por meu Pai Celeste será arrancada pela raiz. Deixa-os; são cegos que conduzem cegos. Ora, se um cego conduz outro cego, ambos cairão no abismo… Mas o que sai da boca parte do coração, é isso que mancha o homem, porque é do coração que sai os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as fornicações, os furtos, os falsos testemunhos e as blasfêmias. Estas são as coisas que mancham o homem.”

A advertência das Sagradas Escrituras para situações e atos como este é clara: “Melhor lhe seria que se lhe atasse em volta do pescoço uma pedra de moinho e que fosse lançado ao mar, do que levar para o mal a um só destes pequeninos. Tomai cuidado de vós mesmos”.

Há pais que não se preocupam que os filhos assistam a isso, deixando as crianças à vontade para assimilar cenas que corrompem as suas mentes. Isto está na internet sem nenhuma censura por parte de quem comanda as redes sociais. A censura existe, sim, mas para os vídeos que procuram promover o bem moral da sociedade, como a defesa da família e da juventude.

 Aos vídeos desses youtubers podem ser aplicadas igualmente as palavras de Jeremias profeta: “Maldito o homem que confia em seu semelhante e se firma em um braço carnal e cujo coração se afasta do Senhor. Ele será como a tamargueira no deserto, e não verá chegar a felicidade; habitará, porém na esterilidade do deserto em terra salobra e inabitável”.

Muitos pais pedem ajuda e conselhos para educar bem os filhos. Outros, preocupados com um futuro sombrio, sugerem escrever um livro ressaltando os pontos primordiais da educação da prole. Mas nada teria valor se os pais não se empenharem numa vigilância contínua do comportamento e hábitos de seus filhos.

Além disso, devemos seguir o conselho de São Pedro apóstolo ao exaltar a importância da oração e da vigilância, pedindo sempre a Deus para que sejamos sóbrios e nos cuidar, pois, o demônio é como o leão que está ao nosso redor procurando nos devorar. Resisti-lhes, pois, firmes na fé.

Os pais, por direito natural e pela autoridade que exercem sobre os filhos, devem ter o maior interesse na formação deles ao formar um lar cristão em que sejam refletidas e difundidas as virtudes cristãs; onde eles devem ser modelos de fidelidade e de elevação para iluminar a vida dos filhos; formar um lar em que os filhos passem a amar a Deus e a viverem a vida de Jesus Cristo no dia a dia. Nada mais prejudicial e nefasto do que confiar nos filhos que vivem livremente fazendo o que desejam.

De nada adianta construir um lar sobre a areia, pois sem convicção doutrinária e religiosa seguramente cedo ou tarde ruirá. São Paulo ensina os deveres dos filhos para com os pais e vice-versa ao sentenciar: “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra teu pai e tua mãe, que tem promessa, a fim de que sejas feliz e tenhas larga vida sobre a Terra. E vós, pais, não provoqueis à ira dos vossos filhos, mas educai-os na disciplina e nas instruções do Senhor”.

Ainda mais adiante, o Apóstolo aconselha a fortalecer-nos no Senhor e no poder da sua virtude revestindo-nos da sua armadura para mais bem resistir às ciladas do demônio contra os principados e a potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra os espíritos malignos espalhados pelos ares.

Pede ainda para tomar a armadura de Deus e resistir no dia mau e ficar de pé depois de ter vencido tudo. A vigilância, o espírito sobrenatural, a frequência aos sacramentos, a oração, sobretudo o terço, a explicação da doutrina cristã com exemplos de vida prática, confrontando com o mundo de hoje, são meios eficazes para os pais poderem formar bem os seus filhos.

O diálogo entre pais e filhos alimenta a confiança mútua. A autoridade paterna é uma autoridade inalienável que representa a autoridade de Deus, que vela e governa o universo com Sabedoria, assim os pais devem se comportar em relação aos filhos.

Educar os filhos não é apenas dar o alimento, a vestimenta, o remédio e a vida de lazer. Educar os filhos é incutir neles o espírito de luta, mostrar-lhes que vivemos num vale de lágrimas, que é preciso combater com galhardia e nobreza aqueles que desejam implantar o reino de satanás num mundo sem Deus e sem fé.

É bom lembrar aqui, o que diz Mons. Ségur, em seu livro A escola sem Deus: “Quem é mais culpado, quem envenena o corpo ou mata a alma? Não é a alma que nos torna homens? A alma é cem vezes, mil vezes superior ao corpo. Portanto, se envenenar e matar o corpo é um crime tão cruel, o que diremos de quem mata a alma?

“A Terra está repleta de gente que dia e noite envenena as almas não com arsênio, mas com doutrinas abomináveis, que, penetrando pouco a pouco no espírito, fazem-no incrédulo, ímpio e rebelde, e, chegando até ao coração, lhe inspiram o gosto pelo mal, o ódio a Deus e o hábito do vício. Esses envenenadores púbicos são todos — que de um modo ou de outro — ensinam o erro quer na religião quer na política”.

Pior do que matar um corpo humano é destruir a fé das crianças e dos jovens.

_________________

(*) Sacerdote da Igreja do Imaculado Coração de Maria – Cardoso Moreira (RJ).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *