Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Sacerdote jesuíta escandaliza os católicos

Sacerdote jesuíta escandaliza os católicos♦  Rory O’Hanlon

DUBLIN — A Hierarquia da Igreja Católica na Irlanda convidou o jesuíta norte-americano Pe. James Martin para discursar no Encontro Mundial das Famílias em Dublin, de 21 a 26 de agosto de 2018. O padre Martin exerce intenso trabalho de apoio ao lobby homossexual dentro da Igreja. Tenta relativizar as normas da moral católica referentes à castidade, enfraquecendo e contradizendo assim o ensino moral católico. Um de seus atos mais reprováveis foi divulgar através do Twitter, em 12 de dezembro de 2017, data da festa de Nossa Senhora de Guadalupe, uma representação blasfema da Mãe de Deus.

Os fiéis católicos irlandeses se sentiam impotentes para impedir tal presença no Encontro Mundial das Famílias, indesejável por promover o homossexualismo. A Sociedade Irlandesa pela Civilização Cristã decidiu então promover um abaixo-assinado dirigido ao Arcebispo de Dublin, Dom Diarmuid Martin, solicitando-lhe a suspensão do convite feito ao padre Martin. A campanha começou em 23 de julho com o lançamento da petição online, que foi referenciada e vinculada por muitos sites.

Sacerdote jesuíta escandaliza os católicosDe 1º a 9 de agosto, uma equipe de voluntários da entidade distribuiu nas ruas das cidades e vilas de todo o país um folheto expondo Sete razões pelas quais o Pe. James Martin deve ser excluído do Encontro Mundial das Famílias. Convocados deste modo a assinar a petição, muitos aderiram e agradeceram pela oportunidade de expressar sua indignação diante do escandaloso convite ao sacerdote jesuíta. A campanha repercutiu também na maioria dos principais jornais da Irlanda e na emissora nacional de televisão, obtendo mais de 16 mil assinaturas.

As autoridades eclesiásticas preferiram ignorar a petição, ao invés de cancelar o discurso do padre Martin no Encontro Mundial das Famílias.

O principal êxito da campanha foi alertar os católicos para as posições ultrajantes do referido sacerdote, e também denunciar a cumplicidade da Hierarquia eclesiástica permitindo que ele falasse. Mais ainda, deixou claro aos meios de comunicação que os católicos irlandeses não são unânimes em aceitar um lobby homossexual dentro da Igreja. Foram muitos os convidados que deixaram de participar do Encontro Mundial das Famílias devido à escandalosa presença do padre Martin.

3 comentários para Sacerdote jesuíta escandaliza os católicos

  1. José Antonio Rocha Responder

    19 de novembro de 2018 à 10:12

    Por mais astuto que seja satanás, Deus é mais forte que todo o mal. Jesus Cristo venceu o mundo, a morte e o pecado. O imaculado coração da Virgem Maria triunfará. Não tenhamos medo. Os escravos de satanás não vencerão. Amém.

  2. Barcelos de Aguiar Responder

    19 de novembro de 2018 à 12:10

    Excelente iniciativa da TFP irlandesa promovendo um abaixo assinado de católicos justamente chocados com a ação do Pe. James Martin em favor da agenda homossexual. Tambem nos EUA houve muita reação contraria ao Pe Martin que abertamente promove a homossexualidade nos meios católicos universitarios do Pais. Barcelos de Aguiar

  3. Luiz Guilherme Winther de Castro Responder

    19 de novembro de 2018 à 14:04

    O homossexualismo sempre existiu e até hoje a ciência não conseguiu explicar a causa ou as causas que fazem do ser humano um homossexual. Talvez existam algumas teorias de origem genética, biológica ou psicológica, mas, pelo que eu saiba, nada cientificamente provado. Pessoalmente, acredito que a pessoa já nasça assim ou, talvez, predisposta a tornar-se homossexual. Pensamento meu, não discuto!
    Todavia, sendo o homem feito à imagem e semelhança de Deus, nasça ele de que forma for, é filho de Deus e merece ser respeitado e amado como Seu filho. Como o ser humano é envolvido com bons sentimentos e defeitos também, é preciso que desde o seu nascimento ele receba os cuidados, a educação necessária, para ser uma boa pessoa na sociedade. Isso independe de sexo ou de ser homossexual. O homossexual deve aceitar-se como ele é, mas saber viver em sociedade e não querer impor aos outros a sua maneira de ser e de viver. Os héteros também têm a mesma responsabilidade. Se todos se tratarem em harmonia, com respeito e amor, todos poderão viver tranquilamente dentro dos preceitos do Criador, sem preconceitos. Agora, quando a situação, o modo de viver e pensar descambam para a imoralidade, para a decadência total, seja o ser humano homossexual ou hétero, eles não serão de agrado a Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *