Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Se o Brasil deixar de ser católico…

Plinio Corrêa de Oliveira

Plinio Corrêa de Oliveira

A seguir reproduzimos, sem revisão do autor, trecho de conferência de Plinio Corrêa de Oliveira para correspondentes e simpatizantes da TFP. Ela foi proferida em 3 de dezembro de 1988, mas para nossos dias é de sumo interesse para se entender a atual crise que atormenta o País.

 

Plinio Correa de Oliveira“Nossa Pátria atravessa uma grande crise carregada de incógnitas. E não se sabe como será resolvida pelos homens e por Deus.

O Brasil, como tudo o que Deus criou, existe para ser católico e sua primeira finalidade é servi-Lo. Se o País deixasse de ser católico, acabaria por desaparecer. Teria sido como uma grande nebulosa que passou luminosamente pela História, uma grande esperança que transitou pela História mais ou menos como um facho de luz de fogo fátuo e incerto. O Brasil voltaria às incógnitas da História, desapareceria.

Ora, se prestarmos atenção nos acontecimentos que estão se desenrolando no País e nos quais a mídia deita uma atenção a meu ver exagerada, damo-nos conta de que estamos numa crise muito grave — crise política, crise religioso-política, crise religioso-social, crise socioeconômica. Reputo a crise mais grave de nossa História.

A História do Brasil já é uma história antiga. Isso de se dizer que o Brasil é um país jovem… Tudo acaba no mundo. A juventude dos homens acaba, e assim também a dos países. Uma nação com seus 500 anos de existência não pode apresentar-se como uma criancinha. Já tem cinco séculos de existência! Séculos de responsabilidades! Séculos de prática da Fé católica! Compreende-se bem que esse país tenha pesadas responsabilidades nas costas. O nosso Brasil as tem, nós enquanto brasileiros as temos também.

Todo o mundo conhece a torrente de blasfêmias que se vem espalhando metodicamente contra Nosso Senhor, Nossa Senhora, os santos e os anjos, atuando de fora para dentro da Igreja, ao mesmo tempo em que de dentro para fora essa crise corrosiva se verifica de um modo dramático”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *