O bem-te-vi e a inocente alegria de viver

O bem-te-vi e a inocente alegria de viver

♦  Plinio Corrêa de Oliveira O canto singelo de uma avezinha inspirou a aplicar-lhe o nome de bem-te-vi. Ele pode se manter isolado no topo de uma árvore, como se fosse um detetive tentando resolver um mistério. Dá a impressão de não estar procurando nada, mas de repente brada sua vitória: Bem-te-vi! Bem-te-vi! Quando os […]