Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Tradição viva que reflete a dor da Paixão

José Carlos Sepúlveda da Fonseca

Mantilhas

Pode-se afirmar, sem exagero, que um dos slogans de nossos dias, repetido à saciedade, é que o “hábito não faz o monge”.

Repetido com “autoridade” por aqueles mesmos que se vergam facilmente à ditadura da moda, tal slogan contém em si uma distorção. É claro que o homem não se torna monge pelo simples uso do hábito. Mas os costumes sociais sempre consagraram certos trajes como característicos de profissões, estados de vida, ou expressões de alma e o seu uso, além de uma expressão externa do espírito, ajuda o homem a viver coerente e perfeitamente aquilo a que se propõe.

 Mantilhas

Tradição que assinala a Paixão de Cristo

Mulheres revestidas de longas mantilhas negras revivem nesta Quinta-feira Santa, em Sevilha, uma tradição que assinala a morte de Nosso Senhor Jesus Cristo e que antecipa a grande jornada da Semana Santa na cidade, conhecida como “la Madrugá”, quando saem às ruas em procissão as confrarias das dezenas e dezenas de Irmandades.

A mantilha, cuja origem é imprecisa, é uma veste tipicamente espanhola, que se generalizou no século XIX e que se usa em sinal de luto e em comemoração pela Paixão e Morte de Cristo.

 

Manter e conservar a tradição

MantilhasAs mulheres vestem-se com trajes e meias negras, mantilhas, peinetas e luvas da mesma côr e portam rosários nas mãos. Os homens, por seu turno, vestem-se com ternos e gravatas escuras; percorrem junto as igrejas nas quais se encontram os “monumentos” e as imagens das treze confrarias que sairão em procissão entre a Quinta e a Sexta-feira Santas.

 

É o modo piedoso de recordar que a Paixão de Cristo, após a Última Ceia, antes de ser preso e julgado perante Caifás como consequência da traição de Judas. A tradição da mantilha é preciso mantê-la e conservá-la, diz uma jovem andaluza de 23 anos, que anseia pelo momento de envergá-la e participar das solenidades com sua família.

 

Contrastes

MantilhasO jornal “ABC” de Madrid destaca que, nas ruas centrais de Sevilha, é nestes dias da Semana Santa que aumenta o contraste entre as gentes da terra e os forasteiros. Os primeiros, enlutados, com suas melhores galas, enquanto os segundos envergam bermudas, camisetas e chinelos, observando atônitos a solenidade das mantilhas negras das mulheres. O “hábito não faz o monge”, mas ajuda-o a viver e portar-se segundo suas convicções e princípios.

Mantilhas mantilhas-bMantilhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *