Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

Black blocs e impunidade

Gregorio Vivanco Lopes

Black bloc

Os black blocs (blocos de negro) que atuam no Brasil, principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro, devem seu nome ao fato de se vestirem de preto e usarem máscaras e capuzes da mesma cor.

Não vamos entrar aqui na discussão um tanto acadêmica para saber se eles são ligados ou não a movimentos semelhantes que já atuaram na Europa, nos Estados Unidos ou no Canadá. Tal discussão tem seu interesse, é claro, mas para efeitos deste artigo trataremos outro ângulo de cogitações.

Por que são eles impunes? Quem tem interesse nos quebra-quebras que promovem?

Utilizam uma tática de ação direta, de corte anarquista, atacando, saqueando, roubando e destruindo o que chamam de símbolos do capitalismo, como viaturas policiais, estações do metrô, carros de luxo, agências bancárias, Mac Donalds. Têm ligações ideológicas claras com o movimento anti-globalista dos Fóruns Sociais que se realizaram em Porto Alegre e outras cidades.

Infiltram-se em manifestações ou atuam por própria conta como criminosos comuns. Como não dependem de votos, pouco se importam com o fato de que seu desprestígio é grande na população. Vivem de ousadia e são protegidos pelo manto da impunidade. Ônibus foram queimados e as forças da ordem hostilizadas. Chegaram a espancar um coronel da PM, que só não foi morto em razão de um policial próximo ter sacado a arma.

Tal situação levou a polícia, em alguns momentos, a endurecer a repressão, por meio de balas de borracha, gás, bombas de efeito moral, sendo então asperamente criticada pela mídia, que alegou “truculência” policial.

Quando alguns dos black blocs são levados à delegacia, pouco depois são soltos, ou porque o delegado não encontra respaldo legal para mantê-los presos, ou porque algum juiz manda imediatamente soltá-los. Livres, daí a pouco voltam à carga.

Black bloc

O governo federal petista e os governos estaduais de Rio e São Paulo, reúnem-se para estudar o caso, fingem que vão tomar medidas, mas nada sai de concreto. Mais de uma pessoa com quem conversei levantou a suspeita de que o PT estaria por trás dessas manifestações de black blocs, os quais funcionariam como uma espécie de força auxiliar não confessada do partido. Com que objetivo?

Sendo o PT um partido com uma vocação totalitária, só teria a ganhar com uma desestabilização da sociedade burguesa, que facilitasse o advento de um tipo de “chavismo” ou “castrismo” brasileiro.

Ainda há pouco, por ocasião das eleições internas do PT veio a furo a existência de uma ala fortemente descontente com as alianças feitas pelo governo petista com partidos ainda não radicalmente de esquerda.

Devido à opinião pública, o PT não tem condições, ao menos de momento, de ostentar seu papel radical. A ação dos black blocs traria algum respiro para esses descontentes e poderia apressar os acontecimentos.

Tais conjecturas serão passíveis de provas no futuro? Ou de desmentidos? Quem viver, verá.

_____________________

(*) Gregório Vivanco Lopes é advogado e colaborador da ABIM             

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *