Venezuela: notas de um milhão que valem menos de três reais

O Banco Central da Venezuela (BCV) emitiu cédulas de até um milhão de bolívares, a maior das quais equivale a… R$ 3,00!

Em 22 anos, em três ocasiões o “socialismo do século XXI” apagou entre três e cinco zeros das notas. Segundo o ex-diretor do Banco Central, José Guerra, são necessários 100 trilhões dos atuais bolívares para igualar o poder aquisitivo da moeda anterior a Chávez.

Imprimir as cédulas custa mais que o valor delas. Com a atual inflação anual de 3.478%, logo será ‘pulverizado’ o seu valor. Hoje são necessárias mais de 37 cédulas de 50 mil bolívares para comprar um quilo de cebola, ao preço de 2,3 milhões de bolívares (ou US$ 1,22).

Escasseia o papel para as notas, e fica-se obrigado a usar sistemas de pagamento eletrônico, identificados pelas gangues na administração socialista.

O mais espantoso é que o responsável pelo alastramento da miséria no país, Nicolás Maduro, recebe as bênçãos do Vaticano.