O maior êxodo da história latino-americana

A avalanche de emigrantes venezuelanos não tem precedentes na América Latina. Fogem da miséria resultante de anos de expropriações e brutalidades socialistas, e a pandemia intensificou sua vulnerabilidade.

Mais de 5 milhões superlotam os sistemas migratórios de diversos países, e só na Argentina há 174.000 venezuelanos emigrados, embora seja o país mais distante do Caribe.

O Papa Francisco, tão acolhedor às migrações de muçulmanos na Europa, não estende a esses católicos suas preocupações, pouco ou nada abrandando seu drama no nosso continente.

Obcecados pela luta contra os ricos, contra os evangelizadores e colonizadores ‘brancos’, os movimentos sociais, as conferências episcopais, as CEBs e ONGs ‘humanitárias’ pouco se manifestam.