Taiwan repudia a China e adverte o Papa

Como claro sinal à ditadura marxista de Pequim, Taiwan reelegeu a presidente anticomunista Tsai Ing-wen com o recorde de 8,17 milhões de votos (57%) e 61 das 113 cadeiras do Legislativo.

Tsai enviou uma carta aberta ao Papa Francisco, por ocasião do Dia Mundial da Paz, dizendo que é difícil “dialogar” com tirano: “A China continental se recusa a amainar sua ânsia de dominar Taiwan. Continua sabotando a democracia, a liberdade e os direitos humanos, ameaça com a força militar, faz campanhas de desinformação e ciberataque”.

David Mulroney, ex-embaixador canadense na China, comentou que “em termos católicos, a presidente Tsai pede educadamente ao Santo Padre que leia os sinais dos tempos e olhe para a China comunista como ela é, e não como ele desejaria que fosse”.