Na mesa se decide o fracasso ou triunfo familiar e social

Luis Dufaur

Numa refeição em família, o mais importante da mesa não é a comida, e sim o relacionamento, a conversa na qual se modela o espírito familiar.

De acordo com Denise Beckford, especialista em relacionamento familiar, este é o ‘prato’ mais saboroso e agradável do contato humano. O Pediatric Academic Society Meeting concluiu que as crianças que partilham da mesa com os pais são mais bem sucedidas na vida, com bom equilíbrio emocional, além de serem menos propensas a atos violentos. Quem se acostumou a uma mesa caótica não fará orçamentos ou relatórios ordenados.

Que imagem passará um profissional que num almoço de trabalho não sabe utilizar adequadamente os talheres? Uma cerimonialista acrescenta: “A violência familiar resulta de uma comunicação paupérrima, falida, que começou à mesa. Os adolescentes não sabem se expressar com palavras, então apelam aos golpes”.