Sem assistência, bebês agonizam em clínicas de aborto “legal”

66 bebês que sobreviveram ao aborto foram abandonados até morrerem em clínicas para abortos “legais” na Inglaterra em 2005, segundo relatório confidencial do governo. Fatos semelhantes aconteceram no Canadá e nos EUA, informou LifeSiteNews. Segundo o relatório inglês — o Confidential Enquiry into Maternal and Child Health — as crianças agonizaram durante aproximadamente dez horas, sem ajuda. Pior. O Royal College of Obstetricians and Gynaecologists recomenda matar com uma aplicação letal os bebês abortados vivos com mais de 22 semanas. A desumanidade do genocídio do aborto vem se patenteando também na Grã-Bretanha. (Agência Boa Imprensa)

Um comentário para "Sem assistência, bebês agonizam em clínicas de aborto “legal”"

  1. Elimaria   5 de maio de 2008 at 13:53

    Meu Deus, quanta tristeza meu sente o meu coração ao ler isto.